Você tem dívidas e nem sabe disso! Descubra aqui quais são.

Tempo de leitura: 9 minutos

Você tem dívidas?

Você está devendo dinheiro para alguma conta que não está pagando?

Se sua resposta foi não, parabéns! Isso mostra que você sabe cuidar do seu dinheiro. Mas será mesmo que você não deve nada e está em dia financeiramente com todas as contas da sua vida?

Quando pensamos em dívidas, geralmente nos lembramos do cheque especial e do cartão de crédito, foi nessas contas que você pensou? Não?! Então compartilha comigo nos comentários quais foram.

Você pensou nos financiamentos (casa, carro, moto) ou na prestação de algum eletrodoméstico e celular de última geração que está pagando da compra que fez no ano passado ainda? Sim?!

Mas será que financiamento é dívida?

Quero aproveitar e explicar que financiamento e dívida são diferentes e não devem ser confundidos. E esse é o primeiro passo importante para você conseguir eliminar as dívidas do seu orçamento e administrar bem os financiamentos.

Quando se trata de um financiamento, existe um bem do qual se usufrui enquanto as prestações são pagas, por exemplo, uma casa. Sendo simplista, para você acabar com as prestações, basta vender a casa. E você ainda pode receber parte do valor que já pagou nas prestações anteriores.

No entanto, quando se trata de dívidas – parcelamento da fatura do cartão de crédito, por exemplo – não há nada que você usufrui enquanto faz os pagamentos. Para eliminar as prestações do seu orçamento, você precisa quitar o saldo total das parcelas, ou seja, precisará de dinheiro.

Voltando a questão de você ter dívidas, eu tenho certeza que você tem muitas e nem sabe disso.

Vamos classificar as dívidas em dois grupos: dívidas do passado e dívidas do futuro. Você deve estar pensando, “como assim dívidas do futuro?”, “eu não faço dívidas e não terei dívidas no futuro”. Se você, realmente, tem dívidas a serem pagas no futuro, meus parabéns. Você é parte de um exclusivo grupo de 0,01% da população que já aprendeu a quitar todas as suas dívidas, principalmente, as dívidas do futuro.

Preciso destacar que as dívidas do passado são um câncer para as finanças; acabam com qualquer saúde financeira e, principalmente, comprometem a saúde emocional de quem convive com elas por muito tempo. As dívidas do passado são contas que você paga todos os meses e que trouxeram qualidade de vida em algo que você já usufruiu. Então, todos os meses, quando você precisa pagar a prestação dessa dívida, o sentimento negativo desqualifica a decisão que foi tomada e o que foi feito.

E o que são as dívidas do futuro e como evitá-las?

Na verdade, se você faz planejamento de vida e financeiro, entenderá que as dívidas do futuro são saudáveis e à medida que sua inteligência financeira é desenvolvida, mais dívidas você fará. Sempre com organização e segurança pelo plano desenvolvido. Elas são o combustível de suas finanças e geram energia para o motor (os juros compostos) te levar a lugares desconhecidos e nunca imaginados.

Vou exemplificar. No momento que escrevo esse texto, estou casado com a Marla há 12 anos e tenho dois filhos, o Miguel de 7 anos e a Letícia com 5 meses. Viver momentos de alegria com essas três pessoas é prioridade em minha vida. E isso já é motivo de eu ter algumas dívidas futuras que são pagas mensalmente. Você irá entender.

A Marla e eu temos o sonho de renovar os votos de casamento com uma deliciosa festa de bodas de prata que acontecerá daqui a 13 anos. Daqui a 11 anos temos a faculdade do Miguel e a 17 anos a faculdade da Letícia. Para nós, isso são dívidas do futuro. São contas que, rigorosamente e mensalmente, temos o compromisso de pagar hoje e que só iremos aproveitar no futuro. Diferente das dívidas do passado, essas são saudáveis e excitantes e pagamos todos os meses muito felizes. Além dessas, temos também a primeira viagem para a Disney com o Miguel e a Letícia, a casa própria e muitas outras.

É engraçado como surgem novas dívidas todo trimestre, que é quando a Marla e eu sentamos para fazer um balanço do planejamento de vida e financeiro. A última que colocamos em nosso orçamento é uma casa no exterior; ainda sem muita clareza, mas já incluímos um pagamento simbólico e adequamos nossas finanças para pagar essa dívida futura.

Você ainda continua sem dívidas do futuro?

No dia-a-dia, como você lida com as dívidas do passado e as dívidas do futuro?

Pense e responda. O que acontece quando você deixa de pagar uma dívida do passado (atraso na prestação do cartão, prestação de crédito pessoal ou parcela de uma viagem já realizada)? Geralmente, você recebe ligações ou correspondência de cobrança mencionando que irão negativar o seu nome junto ao Serasa evitando que você faça mais dívidas, certo? Se você já ficou inadimplente sabe do que estou falando. O processo da cobrança, o constrangimento, é que faz com que desejemos eliminar a dívida o quanto antes.

No entanto, quando você não paga as dívidas do futuro, ninguém irá te ligar. Você não precisa dar satisfação e, então, teoricamente nada acontece. Às vezes uma leve preocupação ou peso na consciência que são esquecidas na próxima compra.
Uma das poucas dívidas do futuro que assombra as pessoas é a aposentadoria. Ou você é daqueles que pensa “a aposentadoria está distante, quando estiver mais perto eu penso nisso”. Se você pensa assim, eu sei o que irá acontecer: você continuará trabalhando como a maioria. Aposentado, e trabalhando para complementar a renda para ter um mínimo de qualidade de vida.

Outra diferença crucial e muito importante entre as dívidas do passado e as dívidas do futuro é que nas dívidas do passado você paga juros (ou seja, você paga o dobro ou o triplo daquilo que você adquiriu), e nas dívidas do futuro você recebe juros (e ao adquirir algo, poderá fazê-lo por um terço, metade ou algumas vezes, dez por cento do valor real).

Se você não tem nenhuma dívida do passado, parabéns!!! Agora, se você não tem nenhuma dívida do futuro, imagine o quanto de juros está deixando de receber por não planejar e pagá-las? Se você começar hoje, suas dívidas do futuro terão prestações bem pequenas, mas que farão a diferença para você realizar seus objetivos do futuro.

Pensar em dívidas do futuro torna mais simples o processo de investir. Para sua mente, você não estará “apenas” investindo (não estará pensando somente em dinheiro), você estará pagando os seus objetivos e sonhos (aquilo que é importante em sua vida), com métricas de desempenho e rentabilidade.

E acredite, uma das maneiras de você quitar e eliminar as dívidas do passado (caso você tenha), é pagar as suas dívidas do futuro. Por mais contra intuitivo que seja, essa atitude mudará sua forma de pensar e te deixará animado para eliminar, de uma vez por todas, as dívidas do passado.

Atenção: não estou dizendo para ignorar as dívidas do passado. E, sim, para equacionar de maneira prática as dívidas do passado e do futuro.

Para ajudá-lo a realizar esse processo, vou dizer como faço com meus clientes de planejamento de vida e financeiro e tem resultados comprovados. Para todo dinheiro extra que surgir, você destinará 80% do valor para pagar as dívidas do passado e 20% para pagar as dívidas do futuro. Lembre-se que, no início, você não deve se preocupar com rendimentos e juros das dívidas do futuro (investimentos). A finalidade deste processo é mudar o seu comportamento: a maneira como você olha e lida emocionalmente como o dinheiro.

A aplicação dos 20% nas dívidas do futuro renderam juros e minha experiência que, aos poucos, isso provocará mudanças no seu mindset financeiro. Você despertará e caminhará em direção à abundância financeira.

E se você não tem dívidas do passado, acelere. Comece a listar e, principalmente, pagar as suas dívidas do futuro, direcionando 100% dos recursos. Comece! O processo é transformador e enriquecedor.

Para finalizar, se você estiver comprometido com a sua independência financeira, compartilhe comigo nos comentários quais são as três dívidas futuras que você irá se comprometer a pagar desde agora?

Para incentivá-lo, compartilho com você as minhas três maiores dívidas do futuro:

1) Independência financeira: para que ela gere renda e juros para o pagamento das minhas contas mensais. Hoje, é a minha mais importante dívida do futuro. É a prestação que pago com muita alegria.

2) Casa da família: sim, é uma dívida do futuro. Atualmente eu pago aluguel de uma casa, mas pago também, todos os meses, a prestação da nossa casa própria.

3) BMW X6: meu sonho de consumo automobilístico. Uma dívida que pago há alguns anos e me motiva saber que estou cada vez mais próximo de realizá-lo.

Fique presente, suas dívidas do futuro são combustíveis para a sua saúde financeira. Elas fazem valer a pena o planejamento financeiro, o controle do orçamento em suas receitas e despesas. Esse já assunto para outro texto.

Um grande abraço e sucesso financeiro.

Leonardo Facchini